Yu-Gi-Oh! A trajetória Parte 3

A trajetória de Yu-Gi-Oh! Parte 3 – ZeXal e Arc-V

Yu-Gi-Oh-ZeXal-Arc-V

No post anterior falamos sobre Yu-Gi-Oh! GX, que continuou o legado de Yu-Gi-Oh! apesar de dividir bastante a opinião entre os fãs. Também relembramos  5D’s, que trouxe de volta o ar um pouco mais sério, característico da franquia, além de mudanças radicais no competitivo do card game. Agora vamos ver Yu-Gi-Oh! ZeXal e Arc-V, as últimas duas gerações do anime.

Yu-Gi-Oh! ZeXal

yu-gi-oh-zexal

Para dar seguimento a franquia veio ZeXal em 2011. Com personagens mais novos e um traço um pouco mais infantilizado este nunca agradou 100% os fãs. Sua história não chamava muita atenção apesar do mistério em torno do personagem Astral e o ar de seriedade se perdeu completamente. As transformações Sayajin/Cavaleiro do Zodíaco do protagonista não ajudaram a agradar o publico mais conservador.

Yuma é um duelista com fama de grande perdedor, mas que apesar disso não desiste e sempre continua duelando para aprimorar suas péssimas habilidades. Ao abrir uma porta misteriosa que lhe apareceu em sonho ele libera algum tipo de poder místico e conhece Astral, uma entidade espiritual cujas memórias foram perdidas. Para recuperá-las eles precisarão encontrar todos os Numbers, poderosos monstros XYZ sob o controle de diferentes duelistas.

Yu-Gi-Oh! ZeXal no Card Game

yu-gi-oh-generation-force

A primeira coleção da era Yu-Gi-Oh! ZeXal foi Yu-Gi-Oh! Generation Force, que nos trouxe os primeiros monstros XYZ, alguns deles sendo Numbers.

Enquanto o anime não era do agrado de todos, a nova mecânica de monstros XYZ revolucionou de forma muito positiva o card game. Os jogadores amaram o novo tipo de invocação semelhante aos synchros, porém com os níveis dos monstros precisando ser iguais para se realizar a summon.

Graças aos XYZ muitos decks que não conseguiam encaixar os Synchros em suas estratégias agora tinham um grande leque de opções. Gravekeepers, por exemplo, não utilizavam Synchros, então ganharam um verdadeiro canivete suíço no extra. Os próprios baralhos baseados em Synchros começaram a abrir espaço para as novas cartas pretas a fim de expandir suas possibilidades.

Yu-Gi-Oh! ZeXal Mangá

yu-gi-oh-manga-zexal

Tal qual todas as séries anteriores, Yu-Gi-Oh! ZeXal também tem um mangá. Ele segue o padrão de apenas 9 volumes e cartas promocionais inclusas, porém diferente de Yu-Gi-Oh! GX e Yu-Gi-Oh! 5D’s foi lançado antes do anime, então é a animação que possui uma história alternativa neste caso. Foi publicado no Japão e nos Estados Unidos.

Yu-Gi-Oh! Arc-V

Yu-Gi-Oh-Arc-V

Chegamos a série mais recente da franquia. Yu-Gi-Oh! Arc-V foi lançado em 2014 e ainda está em exibição. Apesar da aparência visual semelhante a Yu-Gi-Oh! ZeXal, com seus personagens mais novos e cores mais vivas, o anime conseguiu surpreender os fãs e tem sido foco de muitas discussões e especulações a cada episódio lançado.

Yuya é aspirante a Duelista de Entretenimento, um tipo de jogador profissional cujo objetivo é divertir o público com duelos emocionantes e belos. Ele sonha em um dia ser tão bom nisso quanto seu pai. Um poder misterioso é liberado durante um importante duelo e Yuya descobre um novo tipo de invocação, a Pendulum Summon. A partir daí o anime se desenvolve com uma colisão entre as dimensões, cada uma com uma invocação nativa (fusão, xyz, synchro) e trazendo personagens de séries consagradas como Yu-Gi-Oh! GX e Yu-Gi-Oh! 5D’s.

Não vamos entrar em mais detalhes para evitar spoilers, mas vale lembrar que essas dimensões não são exatamente aquelas das séries originais, existem diferenças entre elas. Por exemplo a disfunção social da dimensão synchro que é ainda pior do que a vista em Yu-Gi-Oh! 5D’s com Satellite e Neo Domino.

Yu-Gi-Oh! Arc-V no card game

Yu-Gi-Oh-duelist-alliance

A era Yu-Gi-Oh! Arc-V começou com Duelist Alliance, que nos trouxe os primeiros monstros Pêndulo.

Aqui acontecia uma mudança no tabuleiro de jogo pela primeira vez desde a troca do nome “deck de fusão” para “extra deck”. Surgiam as zonas pêndulo, onde seriam colocados os novos monstros quando ativados em forma de cartas mágicas.

Nesta nova mecânica o duelista pode invocar da mão ou do extra deck virado para cima, qualquer número de monstros cujos níveis estejam entre as escalas dos cards ativados nas zonas de pêndulo.

Os monstros pendulum são metade mágica, metade monstro, com um efeito para cada um. Ao ser ativado em uma zona pêndulo, vale o efeito de mágica. Ao ser invocado, vale o efeito de monstro. Quando um monstro pendulum fosse ser enviado do campo para o cemitério (seja como monstro ou mágica) ele é, ao invés disso, colocado virado para cima no extra deck. Dali ele pode ser invocado novamente através de uma pendulum summon.

Essa mecânica é amada por quem gosta de fazer todos os tipos de invocação em um mesmo baralho, já que ela facilita demais isso. Entretanto é também odiada pela consistência que decks inteiramente baseados em Pendulum Summon apresentam, pois a cada turno eles podem se recuperar facilmente apenas invocando mais uma vez tudo que estiver virado para cima no extra deck.

De qualquer forma o impacto no jogo é notável e Yu-Gi-Oh! nunca esteve numa fase de decks tão agressivos e consistentes como agora.

Yu-Gi-Oh! Mangá Arc-V

yu-gi-oh-manga-ark-v

O mangá de Arc-V está sendo publicado desde 2015 com capítulos mensais nas revistas japonesa e americana da Jump. Todo mangá começa assim antes dos volumes fechados serem publicados, então é possível que estes também totalizem 9 edições.

O primeiro volume já foi lançado no Japão e trás uma carta promocional como de costume.

Aqui acaba nossa retrospectiva de 20 anos de Yu-Gi-Oh!

Yu-Gi-Oh! Arc-V em breve será finalizado e uma nova era começará. Que mecânica nova a Konami irá inventar? E que tipo de animação e mangá podemos esperar? Vocês tem algum palpite? Digam aí nos comentários.

Por Raphael Barbosa

Fonte: http://yugioh.wikia.com/

2 comentários

  1. Eles poderiam criar um torneio q todos os personagens de cada serie do yugioh isso seria espetacular ver o yugi com os novos mago negros contra o yuya kaiba contra o declan seria demais

  2. Acho qui vai ser um tipo novo de especial usado as cartas na mão (cor prata do extra) ou uma nova forma de “avançada” usando uma mecânica de fazer especial do extra banindo cartas do cemitério, A muito a si pensar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*